TRANSLATE THIS HOMEPAGE TO YOUR LANGUAGE

Jesus na Sinagoga de Nazaré - Programa de 24 de outubro de 2012


PARA BAIXAR O ARQUIVO DESSE PROGRAMA DE RÁDIO NO SEU COMPUTADOR, CLIQUE AQUI NESTE LINK

BÍBLIA. Português. Bíblia de Jerusalém. Nova edição rev. e ampl. São Paulo: Paulus, 2002. 3 a. Impressão: 2004. O Evangelho Segundo Lucas 4:14-30 p. 1794-5

 
JESUS INAUGURA SUA PREGAÇÃO - JESUS EM NAZARA
 
PASSAGENS PARALELAS ENCONTRADAS EM MARCOS 6, 1-6 E MATEUS 13, 58-8.
 
22 Todos testemunhavam a seu respeito, e admiravam-se das palavras cheias de graça que saíam de sua boca. E diziam: "Não é o filho de José?"
 
#Razões para a admiração.
 
O destemor com que Jesus rompe com os preconceitos, e mesmo na condição de simples carpinteiro, apresenta-se para ler as escrituras. Além disso, com grande coragem escolhe o trecho a ser lido, e interrompe antes do final.
 
A beleza da interpretação do trecho, aliando a uma forma otimista,  cativante e meiga de se expressar com a visão da Generosidade de Deus: nele se cumpria a Promessa Divina de um porvir melhor.
 
#“e admiravam-se das palavras cheias de graça que saíam de sua boca” é uma expressão neutra, isso é, não significa que concordaram com Jesus. Apenas que ficaram estupefatos.  Por isso Jesus, ao ler os pensamentos dos presentes, prossegue no discurso como veremos no próximo versículo.
 
#A alusão a José diz respeito à descendência do Rei Davi que o Messias teria. José era da linhagem do Rei Davi. Daí o motivo da evocação do nome do pai de Jesus, desencarnado havia mais de 20 anos. Essa afirmativa tinha como objetivo corroborar com a tese de que Jesus era o Ungido
 
23 Ele, porém, disse: "Certamente me citareis o provérbio: Médico, cura-te a ti mesmo. Tudo o que ouvimos dizer que fizeste em Cafarnaum, faze-o também aqui em tua pátria".
 
#Auscultando as dúvidas nos presentes, Jesus se adianta. No entanto, em vez de dar demonstrações miraculosas, ele oferece uma visão crítica, analítica sobre a questão. Que nos sirva de lição. O entendimento das Leis Morais é muito mais importante que qualquer fenômeno espírita. Se quisermos divulgar o espiritismo, façamo-lo pelas ideias, pelas explicações que logra, pelo entendimento das questões inexplicáveis, e não por fenômenos. 
 
 



Jesus na Sinagoga de Nazaré - Programa de 17 de outubro de 2012



E PARA BAIXAR O ARQUIVO DESSE PROGRAMA DE RÁDIO NO SEU COMPUTADOR, CLIQUE AQUI AQUI
 
BÍBLIA. Português. Bíblia de Jerusalém. Nova edição rev. e ampl. São Paulo: Paulus, 2002. 3 a. Impressão: 2004. O Evangelho Segundo Lucas 4:14-30 p. 1794-5

JESUS INAUGURA SUA PREGAÇÃO - JESUS EM NAZARÉ

PASSAGENS PARALELAS ENCONTRADAS EM MARCOS 6, 1-6 E MATEUS 13, 58-8.

16 Ele foi a Nazara, onde fora criado, e, segundo seu costume, entrou em dia de sábado na sinagoga e levantou-se para fazer a leitura.

17 Foi-lhe entregue o livro do profeta Isaías; desenrolou-o, encontrou o lugar onde está escrito:

18 O Espírito do Senhor está sobre mim, porque ele me consagrou pela unção para evangelizar os pobres; enviou-me para proclamar a libertação aos presos e aos cegos a recuperação da vista, para restituir a liberdade aos oprimidos

19 e para proclamar um ano de graça do Senhor.

20 Enrolou o livro, entregou-o ao servente e sentou-se. Todos na sinagoga olhavam-no, atentos.

# A fama de Jesus já havia se espalhado pelas regiões circunvizinhas. Poder-se-ia deduzir, pois, que havia uma expectativa quanto a presença de Jesus na sinagoga de Sua cidade.

#As pessoas também estavam atentas pela expectativa que Jesus causara.

#O que Jesus NÃO leu é tão importante quanto o que Jesus lera

#Jesus escolhera o capítulo 61 do livro de Isaías, porém, interrompe a leitura no versículo1. Vejamos:

ISAÍAS 61 Vocação de um profeta: Bíblia de Jerusalém pág. 1352

1. O espírito do Senhor Iahweh está sobre mim, porque Iahweh me ungiu; enviou-me a anunciar a boa nova aos pobres, a curar os quebrantados de coração e proclamar a liberdade aos cativos, a libertação aos que estão presos,

2. a proclamar um ano aceitável a Iahweh (Jesus interrompeu aqui sua leitura)

O que Ele não quis ler:

2. (a proclamar um ano aceitável a Iahweh) e um dia de vingança do nosso Deus, a fim de consolar todos os enlutados

3. (a fim de pôr aos enlutados de Sião...), a fim de dar-lhes um diadema em lugar de cinza e óleo de alegria em lugar de luto, uma veste festiva em lugar de um espírito abatido. Chamar-lhes-ão terebintos de justiça, plantação de Iahweh para a sua glória

4. Eles reedificarão as ruínas antigas, recuperarão as regiões despovoadas de outrora; repararão as cidades devastadas, as regiões que ficaram despovoadas por muitas gerações.

5.Estrangeiros estarão aí para apascentar os vossos rebanhos; alienígenas serão os vossos lavradores e os vossos vinhateiros.

6.Quanto a vós, sereis chamados sacerdotes de Iahweh; sereis chamados ministros do nosso Deus; alimentar-vos-eis das riquezas das nações; haveis de suceder-lhes na sua glória.

7.Em lugar da vergonha que tendes sofrido, tereis porção dobrada; em lugar de humilhação, tereis gritos de júbilo como vossa porção. Eis por que terão porção dobrada em sua terra e gozarão de uma alegria eterna

8.Com efeito, eu, Iahweh, que amo o direito e detesto o roubo e a injustiça, lhes darei fielmente a sua recompensa estabelecerei com eles uma aliança eterna.

9.A sua posteridade será conhecida entre as nações, sua descendência no meio dos povos. Todos aqueles que os virem reconhecerão que eles são a raça que Iahweh abençoou, ]

#Jesus fizera uma ruptura do conceito a Respeito de Deus, e do próximo. O povo hebreu cria que o Messias, e a Graça de Deus, seria exclusiva para o povo de Deus. Jesus apresenta nova interpretação para as Escrituras, apresentando a Misericordia Divina, encarnada na Sua pessoa, acessível a todas as nações e povos. Isso confrontava a própria Lei Mosaica, senão vejamos:

Levítico 19:18. Bíblia de Jerusalém, pág. 188: "Não te vingarás nem guardarás ira contra os filhos do teu povo; mas amarás o teu próximo como a ti mesmo. Eu sou o Senhor."

LEVÍTICO, cap. 26: Bíblia de Jerusalém, pág.198: 7 - Perseguireis os vossos inimigos, e eles cairão à espada diante de vós. 8 - Cinco de vós perseguirão cem, e cem dos vossos perseguirão dez mil, e os vossos inimigos cairão à espada diante de vós.

#O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO – CAP I – NÃO VIM DESTRUIR A LEI – MOISÉS

2. “Há duas partes distintas na lei mosaica: a lei de Deus, promulgada sobre o Monte Sinai, e a lei civil ou disciplinar estabelecida por Moisés. Uma é invariável; a outra, apropriada aos costumes e ao caráter do povo, modifica-se com o passar do tempo. A Lei de Deus está formulada nos dez mandamentos” [...]

#O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO – CAP I – NÃO VIM DESTRUIR A LEI

Instruções dos Espíritos - A NOVA ERA

Item 9

[...] “A moral que Moisés ensinou era apropriada ao estado de adiantamento em que se encontravam os povos que ela se propunha regenerar, e esses povos, semisselvagens quanto ao aperfeiçoamento da alma, não teriam compreendido que se pudesse adorar a Deus de outro modo que não por meio de holocaustos, nem que se devesse perdoar a um inimigo. Notável do ponto de vista da matéria e mesmo do das artes e das ciências, a inteligência deles muito atrasada se achava em moralidade e não se houvera convertido sob o império de uma religião inteiramente espiritual. Era-lhes necessária uma representação semimaterial, qual a que apresentava então a religião hebraica.” [..]

# O LIVRO DOS MÉDIUNS - CAPÍTULO XXVI - PERGUNTAS QUE SE PODEM FAZER AOS ESPÍRITOS
294. Perguntas sobre as invenções e descobertas

28. Os Espíritos podem guiar os homens nas pesquisas científicas e nas descobertas?

“A Ciência é obra do gênio; só deve ser adquirida pelo trabalho, pois é somente pelo trabalho que o homem se adianta no seu caminho. Que mérito teria, se apenas precisasse interrogar os Espíritos para saber tudo? A esse preço, qualquer imbecil poderia tornar-se sábio. O mesmo se dá com as invenções e descobertas da indústria. Depois, uma outra consideração, é que cada coisa deve vir a seu tempo e, quando as ideias estão maduras para recebê-la; se o homem tivesse este poder, subverteria a ordem das coisas, fazendo que aparecessem os frutos, antes da estação própria.

Deus disse ao homem: tirarás teu alimento da terra, com o suor de teu rosto; admirável figura que pinta a condição em que ele, aqui, se encontra; ele deve progredir em tudo, pelo esforço do trabalho; se lhe dessem as coisas inteiramente prontas, de que lhe serviria sua inteligência? Seria como o estudante, cujo dever, um outro fizesse.”

# Allan Kardec - “O Que é o Espiritismo.” - Capítulo II – Objetivo Providencial das Manifestações Espíritas – Item 50

Objetivo Providencial das Manifestações Espíritas

“50. O objetivo providencial das manifestações é convencer os incrédulos de que, para o homem, tudo não se acaba com a vida terrestre, e de dar, àqueles que creem, ideias mais justas sobre o futuro.

Os bons espíritos vêm nos instruir tendo em vista o nosso melhoramento e o nosso progresso, e não para nos revelar o que ainda não devemos saber, ou o que devemos aprender com o nosso esforço. Se fosse suficiente interrogar os espíritos para obter a solução de todas as dificuldades científicas, ou para fazer descobertas e invenções lucrativas, todo ignorante poderia se tornar sábio a um preço muito baixo e todo preguiçoso poderia enriquecer sem trabalho; é o que Deus não quer que aconteça.

Os espíritos ajudam o homem de talento pela inspiração oculta, mas não o isentam do trabalho nem das pesquisas a fim de lhe deixar o mérito.”

# ALLAN KARDEC - A Gênese, os Milagres e as Predições segundo o Espiritismo – cap. I – Item 60

Os espíritos não vêm para livrar o homem do trabalho, do estudo e das pesquisas; eles não lhe fornecem nenhuma ciência inteiramente pronta, e o que o homem pode descobrir por si mesmo, eles deixam entregue às suas próprias forças.

Os espíritas, hoje, sabem disso perfeitamente. Há muito tempo a experiência demonstrou o erro da opinião que atribuía aos espíritos todo o saber e toda a sabedoria, ou que seria suficiente dirigir-se ao primeiro espírito vindo para se conhecer todas as coisas. Saídos da humanidade, os espíritos são uma das suas faces, e, como na Terra, há entre eles os superiores e os vulgares; muitos deles, portanto, científica e filosoficamente, sabem menos do que certos homens. Eles dizem o que sabem, nem mais, nem menos. Como entre os homens, os espíritos mais adiantados podem nos instruir sobre mais coisas, dar-nos opiniões mais judiciosas do que os atrasados. Pedir conselhos aos espíritos não é, de maneira alguma, recorrer a potências sobrenaturais, mas a seus iguais, àqueles mesmos a quem se teria recorrido em vida, a parentes, amigos, ou a indivíduos mais esclarecidos do que nós.

Eis do que é necessário que todos se convençam e o que ignoram aqueles que, não tendo estudado o Espiritismo, fazem uma ideia completamente falsa sobre a natureza do mundo dos espíritos e das relações com o além-túmulo.”

ojesushistorico@gmail.com
 

Jesus e a Lei Moisaica - Conclusão do Estudo

Grande parte dos religiosos acreditava que o nome de Deus não deveria sequer ser pronunciado, em virtude da indignidade da criatura humana para proferir o Nome Divino, porquanto, havia um tetragrama impronunciável, o qual fora posteriormente transliterado para “YHWH”, e interpretado para as línguas modernas como Yahweh (Javé). Até no tempo presente, muitos Judeus Ortodoxos adotam tal prática.
 
E PARA BAIXAR O PROGRAMA DE 03 DE OUTUBRO 2012 NO SEU COMPUTADOR, CLIQUE AQUI
 
A) O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO – CAP I – NÃO VIM DESTRUIR A LEI - O Cristo
 
3. “Jesus não veio destruir a lei, isto é, a lei de Deus; veio cumpri-la, isto é, desenvolvê-la, dar-lhe o verdadeiro sentido e adaptá-la ao grau de adiantamento dos homens.
 
Por isso é que se nos depara, nessa lei, o principio dos deveres para com Deus e para com o próximo, base da sua doutrina. Quanto às leis de Moisés, propriamente ditas, ele, ao contrário, as modificou profundamente, quer na substancia, quer na forma. Combatendo constantemente o abuso das práticas exteriores e as falsas interpretações, por mais radical reforma não podia fazê-las passar, do que as reduzindo a esta única prescrição: "Amar a Deus acima de todas as coisas e o próximo como a si mesmo", e acrescentando: aí estão a lei toda e os profetas.”
 
B) A Gênese, Capítulo I -Fundamentos da Revelação Espírita
 
""23. A parte mais importante da revelação do Cristo, no sentido de que ela é a fonte primária, a pedra angular de toda a sua doutrina, é o ponto de vista totalmente novo sob o qual ele ensina a encarar a Divindade.
 
Esta não é mais o Deus terrível, ciumento e vingativo de Moisés, o Deus cruel e implacável, que rega a terra com sangue humano, que ordena o massacre e o extermínio dos povos, sem excetuar as mulheres, as crianças e os velhos, e que castiga aqueles que poupam as vítimas.
 
Não é mais o Deus injusto, que pune todo um povo pela falta do seu chefe, que se vinga do culpado na figura do inocente, que fere os fi lhos pelas faltas dos pais, mas um Deus clemente, soberanamente justo e bom, cheio de mansidão e misericórdia, que perdoa o pecador arrependido e dá a cada um segundo as suas obras.
 
Não é mais o Deus de um único povo privilegiado, o Deus dos exércitos, presidindo os combates para sustentar a sua própria causa contra o Deus dos outros povos, mas o Pai comum do gênero humano, que estende a sua proteção sobre todos os seus filhos, chamando todos a si.
 
Não é mais o Deus que recompensa e pune apenas pelos bens da Terra, que faz consistir a glória e a felicidade na escravidão dos povos rivais e na multiplicidade da progenitura, mas o Deus que diz aos homens: “Vossa verdadeira pátria não é neste mundo, ela está no reino celestial, é lá que os humildes de coração serão elevados e que os orgulhosos serão humilhados.”
 
Este não é mais o Deus que faz da vingança uma virtude e ordena que se retribua olho por olho, dente por dente, mas o Deus de misericórdia, que diz: “Perdoai as ofensas se quereis ser perdoados, fazei o bem em troca do mal, não façais aos outros o que não quereis que vos façam.”
 
Este não é mais o Deus mesquinho e meticuloso que impõe, sob as mais rigorosas penas, a forma pela qual quer ser adorado, que se ofende pela inobservância de um ritual, mas o Deus grandioso que vê o pensamento e não se honra com a forma.
 
Enfim, este não é mais Deus que quer ser temido, mas o Deus que quer ser amado. "" ALLAN KARDEC

ENCICLOPÉDIA DA BÍBLIA, organizada por John Drane


Caros amigos.

Gostaria de recomendar a excelente Enciclopédia da Bíblia, organizada por John Drane, que poderá ser encontrada nas grandes livrarias, como as Livraria Saraiva e da Travessa, por exemplo.

No entanto, vocês poderão Consultar e ler a Enciclopédia da Bíblia aqui mesmo no blog!

A imagem abaixo não é apenas uma figura, mas sim uma janela para acessar essaa Enciclopédia, que está hospedada no "Google Livros".

Bastar clicar na barra de rolagem ("setinhas") da figura abaixo, e as páginas do livro se abrirão para leitura.

Caso a janela apareça "em branco", clique em "conteúdo", no topo dessa figura, e a enciclopédia será carregada no blog novamente.





Bons estudos, fraternal abraço, Fabiano


***

Dúvidas, críticas e sugestões?

Dúvidas, críticas e sugestões?
Mande um e-mail para mim, clicando no link abaixo

Seguidores do Site (clique em "seguir" para ser informado sobre novas postagens no blog)

Visualizações do blog desde julho/2010