TRANSLATE THIS HOMEPAGE TO YOUR LANGUAGE

Programa do dia 13 de junho de 2012 : Os bons espíritos não poderiam nos oferecer revelações sobre os fatos históricos, e as exatas palavras proferidas por Jesus?


PALAIS ROYAL: local onde foi lançado "O Livro dos Espíritos", em 18 de abril de 1857

PARA BAIXAR ESSE PROGRAMA NO SEU COMPUTADOR, CLIQUE >>>  A Q U I

I. DIVISÃO DAS MATÉRIAS CONTIDAS NOS EVANGELHOS

Allan Kardec, em O Evangelho Segundo o Espiritismo (Introdução, item I), elucida-nos que as matérias contidas nos Evangelhos podem ser divididas em cinco partes: os milagres; as predições; as palavras que serviram para o estabelecimento dos dogmas da Igreja; o ensinamento moral; os atos comuns da vida do Cristo.

Quatro dessas divisões são, corajosamente, estudadas nas - cerca de - trinta obras publicadas pelo Codificador do Espiritismo.

Nada obstante, para fins didáticos, poder-se-ia atribuir uma obra Kardeciana para o estudo de cada parte, a saber:

a) Os milagres: analisados e explicados na obra “A Gênese, Os Milagres e as Predições Segundo o Espiritismo”;

b) As predições: analisadas e explicadas na obra “A Gênese, Os Milagres e as Predições Segundo o Espiritismo”;

c) As palavras que serviram para o estabelecimento dos dogmas da Igreja: analisadas e explicadas na obra “O Céu e o Inferno ou A Justiça Divina Segundo o Espiritismo”.

d) O ensinamento moral: desenvolvido no livro “O Evangelho Segundo o Espiritismo”;

e) Os atos comuns da vida do Cristo: Não por acaso, Allan Kardec não desenvolveu os aspectos históricos e historiográficos da vida de Jesus de Nazaré em nenhuma de suas obras.

O espiritismo é uma doutrina cientifica e filosófica, com consequências morais e religiosas. Veio restabelecer o cristianismo ao seu sentido puramente espiritualista. Não é objetivo de o espiritismo concorrer com as ciências, mormente as ciências históricas. Cabe à ciência desvelar os atos comuns da vida do Cristo.

PERGUNTA: Os bons espíritos não poderiam nos ajudar, trazendo as notícias históricas, os fatos históricos, e as exatas palavras proferidas por Jesus?

Por mais surpreendente que possa parecer, a resposta seria: não cabe aos espíritos trazerem essas revelações históricas.

FUNDAMENTAÇÃO

I. Objetivo Providencial das Manifestações Espíritas

“50. O objetivo providencial das manifestações é convencer os incrédulos de que, para o homem, tudo não se acaba com a vida terrestre, e de dar, àqueles que creem, ideias mais justas sobre o futuro.

Os bons espíritos vêm nos instruir tendo em vista o nosso melhoramento e o nosso progresso, e não para nos revelar o que ainda não devemos saber, ou o que devemos aprender com o nosso esforço. Se fosse suficiente interrogar os espíritos para obter a solução de todas as dificuldades científicas, ou para fazer descobertas e invenções lucrativas, todo ignorante poderia se tornar sábio a um preço muito baixo e todo preguiçoso poderia enriquecer sem trabalho; é o que Deus não quer que aconteça.

Os espíritos ajudam o homem de talento pela inspiração oculta, mas não o isentam do trabalho nem das pesquisas a fim de lhe deixar o mérito.”

Allan Kardec - “O Que é o Espiritismo.” Capítulo II – Objetivo Providencial das Manifestações Espíritas – Item 50

II. REVELAÇÕES ESPIRITUAIS PERTINENTES AO CAMPO CIENTÍFICO

Os espíritos não vêm para livrar o homem do trabalho, do estudo e das pesquisas; eles não lhe fornecem nenhuma ciência inteiramente pronta, e o que o homem pode descobrir por si mesmo, eles deixam entregue às suas próprias forças.

Os espíritas, hoje, sabem disso perfeitamente. Há muito tempo a experiência demonstrou o erro da opinião que atribuía aos espíritos todo o saber e toda a sabedoria, ou que seria suficiente dirigir-se ao primeiro espírito vindo para se conhecer todas as coisas. Saídos da humanidade, os espíritos são uma das suas faces, e, como na Terra, há entre eles os superiores e os vulgares; muitos deles, portanto, científica e filosoficamente, sabem menos do que certos homens. Eles dizem o que sabem, nem mais, nem menos. Como entre os homens, os espíritos mais adiantados podem nos instruir sobre mais coisas, dar-nos opiniões mais judiciosas do que os atrasados. Pedir conselhos aos espíritos não é, de maneira alguma, recorrer a potências sobrenaturais, mas a seus iguais, àqueles mesmos a quem se teria recorrido em vida, a parentes, amigos, ou a indivíduos mais esclarecidos do que nós.

Eis do que é necessário que todos se convençam e o que ignoram aqueles que, não tendo estudado o Espiritismo, fazem uma ideia completamente falsa sobre a natureza do mundo dos espíritos e das relações com o além-túmulo.”

ALLAN KARDEC. A Gênese, os Milagres e as Predições segundo o Espiritismo – cap. I – Item 60

III. OBJETIVO EXCLUSIVO DO ESPIRITISMO

”Não esqueçais que o objetivo essencial, EXCLUSIVO, do Espiritismo, é o vosso melhoramento e é, para o alcançardes que é permitido aos Espíritos iniciar-vos na vida futura, oferecendo-vos exemplos de que podeis aproveitar. Quanto mais vos identificardes com o mundo que vos espera, menos saudades sentireis daquele em que estais agora. Em suma, este é o objetivo atual da revelação.”

O Livro dos Médiuns, 292. Perguntas sobre a destinação dos Espíritos, segunda parte, cap. XXVI.

IV. PERGUNTAS QUE SE PODEM FAZER AOS ESPÍRITOS - 1

28. Os Espíritos podem guiar os homens nas pesquisas científicas e nas descobertas?

“A Ciência é obra do gênio; só deve ser adquirida pelo trabalho, pois é somente pelo trabalho que o homem se adianta no seu caminho. Que mérito teria, se apenas precisasse interrogar os Espíritos para saber tudo? A esse preço, qualquer imbecil poderia tornar-se sábio. O mesmo se dá com as invenções e descobertas da indústria. Depois, uma outra consideração, é que cada coisa deve vir a seu tempo e, quando as ideias estão maduras para recebê-la; se o homem tivesse este poder, subverteria a ordem das coisas, fazendo que aparecessem os frutos, antes da estação própria.

Deus disse ao homem: tirarás teu alimento da terra, com o suor de teu rosto; admirável figura que pinta a condição em que ele, aqui, se encontra; ele deve progredir em tudo, pelo esforço do trabalho; se lhe dessem as coisas inteiramente prontas, de que lhe serviria sua inteligência? Seria como o estudante, cujo dever, um outro fizesse.”

O LIVRO DOS MÉDIUNS - CAPÍTULO XXVI - 294. Perguntas sobre as invenções e descobertas - Allan Kardec

V. PERGUNTAS QUE SE PODEM FAZER AOS ESPÍRITOS - 2

29. O sábio e o inventor nunca são assistidos pelos Espíritos em suas pesquisas?

“Oh! Isto é muito diferente. Quando chega o tempo de uma descoberta, os Espíritos encarregados de lhe dirigir a marcha, procuram o homem capaz de levá-la a bom termo e lhe inspiram as ideias necessárias, de maneira a lhe deixarem todo o mérito, porquanto estas ideias, é preciso que ele as elabore e as execute. O mesmo acontece com todos os grandes trabalhos da inteligência humana. Os Espíritos deixam cada homem na sua esfera de ação;

O LIVRO DOS MÉDIUNS - CAPÍTULO XXVI - 294. Perguntas sobre as invenções e descobertas - Allan Kardec

VI. INCERTEZAS NAS REVELAÇÕES ESPIRITUAIS

Objetivo Providencial das Manifestações Espíritas

52. Com exceção do que pode ajudar o progresso moral, só há incerteza nas revelações que se conseguem obter dos espíritos. A primeira conseqüência desagradável, para aquele que desvia a sua faculdade do objetivo providencial, é ser mistificado pelos espíritos embusteiros que existem em grande número ao nosso redor; a segunda é cair sob o domínio desses mesmos espíritos que podem, com conselhos desleais, conduzi-lo a infortúnios reais e materiais na Terra; a terceira é perder, após a vida terrestre, o fruto do conhecimento do Espiritismo.

Allan Kardec - “O Que é o Espiritismo.”

Capítulo II – Objetivo Providencial das Manifestações Espíritas – Item 52

VII. SOBRE AS TEORIAS CIENTÍFICAS

“Assim, é sobretudo nas teorias científicas que precisa haver extrema prudência, guardando-se de dar precipitadamente como verdades sistemas por vezes mais sedutores que reais, e que, cedo ou tarde, podem receber um desmentido oficial. Que sejam apresentados como probabilidades, se forem lógicos, e como podendo servir de base para observações ulteriores, admite-se; mas seria imprudência tomá-los prematuramente como artigos de fé. Diz um provérbio: Nada é mais perigoso do que um amigo imprudente. Ora, é o caso dos que, no Espiritismo, se deixam levar por um zelo mais ardente que refletido.”

Allan Kardec
Revista Espírita Julho de 1861, OBSERVAÇÃO GERAL (Sobre o exame crítico das dissertações de Charlet sobre os animais), p. 331

VIII. JAMAIS ACEITAR NADA SEM EXAME SEVERO

Revista Espírita - Julho de 1861, OBSERVAÇÃO GERAL (Sobre o exame crítico das dissertações de Charlet sobre os animais), p. 331

“A consequência a tirar destes princípios é que, fora das questões morais, não se deve acolher o que vem dos Espíritos senão com reservas e, em todos os casos, jamais aceitá-las sem exame. Daí decorre a necessidade de se ter a maior circunspeção na publicação dos escritos emanados dessa fonte, sobretudo quando, pela estranheza das doutrinas que encerram, ou pela incoerência das ideias, podem prestar-se ao ridículo. É preciso desconfiar do pendor de certos Espíritos para as ideais sistemáticas, e do amor-próprio que buscam espalhar.

Allan Kardec
Revista Espírita Julho de 1861, OBSERVAÇÃO GERAL (Sobre o exame crítico das dissertações de Charlet sobre os animais), p. 331

IX. EXISTIRIAM MÉDIUNS CUJAS PSICOGRAFIAS SERIAM TOTALMENTE CONFIÁVEIS?

9a) Qual seria o médium que se poderia chamar de perfeito?

”Perfeito, que pena! Sabeis bem que a perfeição não existe na Terra, sem, isto, não estaríeis nela; dize, portanto, bom médium e já é muito, pois eles são raros.

O médium perfeito seria aquele sobre o qual os maus Espíritos jamais teriam ousado fazer uma tentativa para enganá-lo; o melhor é aquele que, simpatizando somente com bons Espíritos, tem sido enganado menos frequentemente.”

O LIVRO DOS MÉDIUNS – SEGUNDA PARTE - CAPÍTULO XX – INFLUÊNCIA MORAL DO MÉDIUM

***

10a) Se ele só simpatiza com bons Espíritos, como podem permitir que ele seja enganado?

“Os bons Espíritos o permitem, algumas vezes, com os melhores médiuns, para lhes exercitar o bom-senso e lhes ensinar a discernir o verdadeiro do falso; e, depois, por melhor que seja o médium, ele nunca é tão perfeito que não possa ser atacado pelo seu lado fraco; isto deve servir-lhe de lição. As falsas comunicações que ele recebe, de tempos em tempos, são advertências para que não se considere infalível e não se envaideça; pois o médium que obtém as coisas mais notáveis não tem que vangloriar-se, tanto quanto o tocador de realejo, que produz belas árias, movendo a manivela de seu instrumento.”

O LIVRO DOS MÉDIUNS – SEGUNDA PARTE - CAPÍTULO XX – INFLUÊNCIA MORAL DO MÉDIUM

***

“As boas intenções, a própria moralidade do médium nem sempre são suficientes para o preservarem da ingerência dos Espíritos levianos, mentirosos ou pseudo-sábios, nas comunicações. Além dos defeitos de seu próprio Espírito, pode dar-lhes guarida por outras causas, das quais a principal é a fraqueza de caráter e uma confiança excessiva na invariável superioridade dos Espíritos que com ele se comunicam. “

Allan Kardec - Revista Espírita: Jornal de Estudos Psicológicos - Fevereiro de 1859 - Editora FEB, Pág. 55.

***

82. Os médiuns mais dignos não estão livres das mistificações dos espíritos embusteiros; inicialmente porque não existe uma pessoa bastante perfeita a ponto de não possuir um lado fraco pelo qual os maus espíritos possam ter acesso; em segundo lugar, porque os bons espíritos, algumas vezes, permitem que isso aconteça para que possamos fazer a nossa análise crítica, aprender a discernir a verdade do erro e ficar alerta, afim de não aceitar nada cegamente e sem controle.

Observemos, também, que o embuste jamais vem de um bom espírito e todo nome respeitável que aparece assinando um erro é, necessariamente, apócrifo.

Allan Kardec -  “O Que é o Espiritismo.”Capítulo II – Noções Elementares do Espiritismo – Item 82

X – SR. X, MÉDIUM SEGURO E MORALIZADO, RECEBEU 500 OBRAS MEDIÚNICAS. APLICANDO-SE O PRINCÍPIO GERAL DA CIÊNCIA ESPÍRITA SOBRE A PROPORÇÃO DAS COMUNICAÇÕES DE INQUESTIONÁVEL VALOR, PERGUNTA-SE: QUANTOS LIVROS TERIAM “MÉRITO FORA DO COMUM”, E, POR CONSEGUINTE, SERIAM ELEGÍVEIS PARA A DIFUSÃO DO ESPIRITISMO?

Como usual, encontraremos nas diretrizes Kardecianas a solução para essa questão:

"Aplicando esses princípios de ecletismo às comunicações que nos enviaram, diremos que em 3.600 há mais de 3.000 que são de uma moralidade irreprochável, e excelentes como fundo; mas que desse número não há 300 para publicidade, e apenas 100 de um mérito inconteste. Essas comunicações vieram de muitos pontos diferentes.

Inferimos que a proporção deve ser mais ou menos geral. Por aí pode julgar-se da necessidade de não publicar inconsideradamente tudo quanto vem dos Espíritos, se quiser atingir o objetivo a que nos propomos, tanto do ponto de vista material quanto do efeito moral e da opinião que os indiferentes possam fazer do Espiritismo".

Allan Kardec, Revista Espírita, 1863, maio.

ENCICLOPÉDIA DA BÍBLIA, organizada por John Drane


Caros amigos.

Gostaria de recomendar a excelente Enciclopédia da Bíblia, organizada por John Drane, que poderá ser encontrada nas grandes livrarias, como as Livraria Saraiva e da Travessa, por exemplo.

No entanto, vocês poderão Consultar e ler a Enciclopédia da Bíblia aqui mesmo no blog!

A imagem abaixo não é apenas uma figura, mas sim uma janela para acessar essaa Enciclopédia, que está hospedada no "Google Livros".

Bastar clicar na barra de rolagem ("setinhas") da figura abaixo, e as páginas do livro se abrirão para leitura.

Caso a janela apareça "em branco", clique em "conteúdo", no topo dessa figura, e a enciclopédia será carregada no blog novamente.





Bons estudos, fraternal abraço, Fabiano


***

Dúvidas, críticas e sugestões?

Dúvidas, críticas e sugestões?
Mande um e-mail para mim, clicando no link abaixo

Seguidores do Site (clique em "seguir" para ser informado sobre novas postagens no blog)

Visualizações do blog desde julho/2010